Não mate a poesia. Todos os poetas a buscam e ela escolheu pousar em você.

domingo, 22 de abril de 2012

Poema O ser e a memória


O ser e a memória
(Claudia Bergamini)

Na memória, trago as imagens de muitos afagos
conquistados a partir dos sorrisos, das brincadeiras
dos tombos na queimada jogada na rua.

Trago imagens da menina que, um dia,
Acordou mulher...
Desabrochou!
Rosa de primavera
a exalar perfume por onde passa. 


Trago imagens da mocinha
Que na janela aguardava
a passagem do rapaz por quem se enamorara.

São tempos visíveis nas lembranças.
São flashes construídos em anos
de pés no chão e cabelos desarrumados.

Agora são obrigações, cuidados, relógio...
Vida que corre para a maturidade.
Vida que nasce com pouca vontade
de crescer e muita de reviver
as imagens que brotam na memória!

Poesia finalista no Concurso Ciranda de Poesia da cidade de Londrina 2011. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário