Não mate a poesia. Todos os poetas a buscam e ela escolheu pousar em você.

domingo, 22 de abril de 2012

Alegria, alegria


Alegria, alegria
(Claudia Bergamini)

Alegria,
Cantemos com exaltação!
A quê?
ora, se as cidades não mais oferecem
O aconchego de outrora
Há roubo, morte, assassinato
Suspense é viver agora

Mas então
Cantemos a quê?
Se as cidades já não se cantam?
Podemos cantar a vida
Que explode como um sopro
Surge a cada dia
Surge a cada fôlego

Vida que rasga e vem
Vida que rompe barreiras
E que se mostra a cada dia
Como a dama a quem
Podemos dar
Alegria! Alegria!

Nenhum comentário:

Postar um comentário