Não mate a poesia. Todos os poetas a buscam e ela escolheu pousar em você.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Gerações

Gerações...
(Por Claudia Vanessa Bergamini)
Eu tinha 11 anos quando pisei em uma tatame pela primeira, com a mesma idade, minha filha também foi, por mim guiada, a uma academia de judô. O judô não se tornou para mim a minha grande paixão, ainda criança conheci o atletismo e foi por ele que verdadeiramente me encantei, tanto que, aos 15 anos, decidi abandonar de vez o quimono e calçar por definitivo o tênis. Para minha filha, porém, os caminhos foram outros. Aaçou com sabedoria a todos os outros esportes, os quais teve a oportunidade de praticar. Hoje, quase uma faixa preta, faltam apenas 4 meses para que isso se concretize, minha menina conduziu ao tatame a terceira geração da família, meu sobrinho. Para ele, o judô é uma divertida prática, mas hoje, ao acompanhá-lo no exame de faixa, senti-me emocionada de ver como uma escolha que fiz aos 11 anos de idade pode ganhar seguidores dentro de minha família. É um orgulho ver essa sensei linda atendendo aos seus pequenos judocas, ver o bebezinho que embalei nos braços dando muito mais que uma faixa, pois ela ensina valores, a história do judô e sei que seus alunos a respeitam. Que orgulho ver meu sobrinho recebendo a faixa das mãos de minha filha. Meu sábado não poderia ter sido melhor, minhas emoções não poderiam ter sido outras.
mou o judô e rech

Nenhum comentário:

Postar um comentário