Não mate a poesia. Todos os poetas a buscam e ela escolheu pousar em você.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

O bichinho que a todos incomoda: internetês
                                                 (Claudia Vanessa Bergamini)

Gosto da língua portuguesa e confesso: as normas me atraem, não sou purista, mas valorizo demais um texto escrito dentro do velho e tradicional português. Porém, cometo deslizes, daqueles deliciosos deslizes que se comete quando se deseja teclar rapidamente com alguém. Acentos, vírgulas, algumas colocações pronominais são vítimas das teclas que deslizam, mas que em nenhum momento deixam de permitir a comunicação. Viva as redes sociais, o espaço da rebeldia e liberdade linguísticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário